Objetivo:

A minha missão, e é assim que eu encaro esse trabalho, é de apenas divulgar a boa e bela música! Pois é inconcebível deixar as pessoas sem conhecer o verdadeiro Rock. Não consigo imaginar alguém nascer, crescer, viver e morrer sem ouvir pelo menos a metade do conteúdo deste Blog. É uma tortura para meu ser pensar que isso possa acontecer! Quero também deixar muito claro que não pratico pirataria. Os links expiram em 60 dias e sabemos, como bons apreciadores, que um mp3 tem péssima qualidade. Porém, não existe nada melhor do que achar um som na internet, baixar, se deliciar e depois comprar o original, com encartes, um som puro e perfeito! Preservando assim os direitos autorais dos artistas que as produziram!

Desejo a todos uma viagem sonora cheia de delícias musicais!

CLAUDIOTULL

terça-feira, setembro 30, 2008





BLACK SABBATH - WE SOLD OUR SOUL FOR ROCK'N ROLL - 1976
Venda sua alma ao Rock'n Roll, esta é uma proposta mais que descente do Sabbath, e foi exatamente o que fiz a muito tempo atrás hehehehe. "We Sold Our Soul For Rock and Roll" foi uma demolidora coletânea, composta de quatorze músicas, todas clássicos do hard rock e heavy metal. Trata-se de uma excelente amostra da carreira da banda, desde o primeiro álbum até "Sabotage". Eu tenho essa pérola do Hard Rock e porque não dizer do Heavy Metal em vinil, um álbum duplo que não parava de tocar no meu 3em1 National cara preta lá pros ídos de 1982 rsrsrsr. Aí em baixo as músicas lado por lado como era no vinil, e em cima a capa original em vinil com essa mórbida modelo dentro do caixão, meu pai e minha mãe rezavam todas orações do mundo quando olhavam para esse disco hahahaha.
VENDAM VOSSAS ALMAS!!!!!

Side One:
Black Sabbath
The Wizard
Warning (Aynsley Dunbar, John Moorshead, Alex Dmochowski, Victor Hickling)

Side Two:
Paranoid
War Pigs
Iron Man
Wicked World (from U.S. release of Black Sabbath/ B-side to UK Evil Woman single)

Side Three:
Tomorrow's Dream
Fairies Wear Boots
Changes
Sweet Leaf
Children of the Grave
Side Four:
Sabbath Bloody Sabbath
Am I Going Insane
Laguna Sunrise
Snowblind
N.I.B.
CLAUDIOTULL

segunda-feira, setembro 29, 2008







JETHRO TULL - 20 YEARS OF JETHRO TULL - 1988
Aí está a coletânea definitiva do Jethro Tull. Foi lançada em 1988 como caixa com 4 LPs ou 3 CDs (aqui está a divisão dos CDs). O primeiro tem gravações de rádio, com apresentações do locutor da BBC e bluesman Alexis Korner, dizendo que o JT "pode ser a maior atração desde os Stones". Destaque para o blues sensacional "Stormy Monday Blues" onde Ian Anderson detona sua flauta. Tem também algumas canções raras, como a belíssima "Coronach", feita para um programa de TV da BBC sobre a formação da Inglaterra, a fabulosa "Summerday Sands" e a ilária "March The Mad Scientist". O segundo traz canções que, lá na avaliação deles, não ficaram como deveriam (as "jóias imperfeitas") ou fugiam do padrão da banda, tem músicas sensacionais como "Jack-A-Lynn" uma canção que na minha opinião é uma das mais belas do Jethro tull, e canções que pode se dizer que são completamente lendárias, que parecem ter saído diretamante do mundo Celta, "Part Of The Machine", "Mayhem, Maybe" e "Kelpie" são canções que poderiam fazer parte de qualquer trilha sonora de filmes com Duendes, Dragões, Cavalheiros, Merlin e Donzelas. . Já o terceiro é uma espécie de "best of", só que prioritariamente ao vivo.
BAIXEM ESSA LENDA CELTA!!!
CLAUDIOTULL

sexta-feira, setembro 26, 2008


SIR LORD BALTIMORE - KINGDOM COME - 1970
Isso é uma mistura nervosa de Mountain com Uriah Heep, talvez essa seja a melhor definição para Sir Lord Baltimore, é porrada na muleira. Banda de Hardrock (que depois foi denominada como "Hard Metal") americana formada em 1968, no Brooklyn. Esta banda é uma das pioneiras do estilo Heavy Metal, seu som tem uma qualidade inigualável. Um super Powertrio que contavam inicialmente com o vocalista e baterista John Garner, Louis Dambra na guitarra e o baixista Gary Justin. Sua estréia se deu com este disco "Kingdom Come" em 1970 que é considerado por muitos estudiosos do estilo o primeiro disco de Heavy Metal lançado. Depois lançaram "Sir Lord Baltimore - 1971" e em 2006, Garner e Dambra reuniram-se como Sir Lord Baltimore e lançaram um novo álbum, "Sir Lord Baltimore III Raw". Justin que não é mais um músico em atividade, não participou das gravações. Um aviso: isso é Rock de gente grande!!!, Pauleira do início ao fim!!!, não recomendado a "Frangotes Emos" hahahaharsrsrsrs.
BAIXEM ESSA PAULADA NA MULEIRA!!!!
CLAUDIOTULL

SANTANA - CARAVANSERAI - 1972
Este é sem dúvida o mais eleborado e complexo trabalho de Carlos Santana. Ele cria nesse disco uma combinação de rock latino com funk e jazz fusion. É um album altamente influenciado por Miles Davis e apresenta os novos membros Armando Peraza, Tom Coster e Doug Raunch. O álbum também é o último com Neal Schon e Greg Rollie. As músicas desse album evoluem em relação aos 3 primeiros. Não há hits, nem existem canções pops pré orientadas. A música é rica e abundante e existem muitos sons sobrepostos (a minha predileta é "SONG OF THE WIND" ideal pra dançar bem agarradinho com sua gatinha!! hehehe). Tem inúmeras passagens progressivas e até uma homenagem a um dos maiores compositores brasileiros de todos os tempos" Tom Jobin", na música Stone Flower . É uma combinação do som original do Santana com começos do jazz fusion e alguns insights da psicodelia de São Francisco. A percurssão é fantástica, como é em todos os Santanas, mas este é mais. Ouçam e poderão constatar algo mais nos rítimos. As harmonias são diferentes de todos os outros discos do Santana e tendem ao jazz rock, e referendam Miles Davis. Caravanserai é o disco que menos vendeu e que mais se aproximou do não comercial, embora haja até composições no disco com esta finalidade. Depois de Caravanserai, você ira lamentar muito que a sua carreira seja o que é hoje, mas também não mais poderá compara-lo a qualquer "pagodeiro do rock". Olhem só esse Line Up: Michael Shrieve, bateria. Neal Schon, guitarra. Hadley Caliman, sax. Tom Coster, teclados, piano elétrico, vocal. Mel Martin, sax. Armando Peraza, percussão, bongos, vocal. Lenny White, percussão. José Chepitó Areas, percussão, bongos, congo, timbales. Gregg Rolie, orgão, piano, teclado, vocal. Bob Fereira, sax. Wendy Haas, piano, teclado. Tom Harrell, trompete. James Mingo Lewis, percussão, bongos, congo, timbales. Jules Powell, trombone. Doug Rauch, baixo, guitarra. Rico Reyes, percussão, vocal. David Rodriguez, guitarra. Douglas Rodrigues, guitarra. Tom Rutley, baixo. Carlos Santana, guitarra, percussão, vocal.
Track Listings:
01. Eternal Caravan of Reincarnation (4:28)
02. Waves Within (3:53)
03. Look Up (To See What's Coming Down) (2:59)
04. Just In Time To See The Sun (2:19)
05. Song of the Wind (6:02)
06. All the Love of the Universe (7:36)
07. Future Primitive (4:12)
08. Stone Flower (6:14)
09. La Fuente del Ritmo (4:33)
10. Every Step of the Way (9:04)
Total Time: 51:20
ESSE É OBRIGADO BAIXAR!!!
CLAUDIOTULL

VANISHING POINT - TRILHA SONORA ORIGINAL - 1971
Um grande filme com uma grande trilha sonora, Nele um veterano honrado da Guerra do Vietnã, é um ex-policial (expulso da corporação). Antigo piloto de provas que agora trabalha como entregador de carros, e faz uma aposta com um amigo que levará um Dodge Challenger modelo 1968, em tempo recorde, de Denver, Colorado, a San Francisco, Califórnia. Mas uma simples infração muda o contexto da disputa, que se transforma na maior perseguição do país. A trilha sonora foi produzida pelo veterano compositor e músico country Jimmy Bowen, que além de incluir canções de músicos country e rhythm & blues como Bobby Doyle, Doug Dillard Expedition, Delaney & Bonny & Friends, Mountain e Kim Carnes, compôs e interpretou com seu grupo The J. B. Pickers e orquestra as faixas instrumentais "Super Soul Theme", "Welcome to Nevada", "Love Theme" (um tradicional tema romântico, dedicado a uma motociclista nua! que aparece no filme) e "Freedom of Expression". Se no resto do mundo esta trilha sonora foi um sucesso por mesclar boas composições pop da época, no Brasil o LP tornou-se muito conhecido e permaneceu anos em catálogo graças principalmente à faixa "Freedom of Expression", utilizada como tema do programa jornalístico Globo Repórter, da Rede Globo. No filme esta música é ouvida durante uma furiosa perseguição ao Dodge de Kowalsky, sendo interpretada com garra pelos J. B. Pickers. A faixa pode ser classificada como fusion ou jazz-rock, um gênero criado pelo lendário trompetista Miles Davis e celebrizado por grupos como The Mahavishnu Orchestra, do guitarrista John Mclaughlin. Sobre uma base de guitarra rítmica, baixo e bateria, um solo de guitarra inicia um refrão de quatro notas. No desenvolvimento da faixa a guitarra líder faz vários improvisos, acompanhada de perto pela bateria e algumas vocalizações. É um tema que pode ser considerado no mínimo como vibrante, e que por si só vale todo o disco, e vale ver o filme.
É PURA VELOCIDADE DO ROCK!!!
CLAUDIOTULL










ROCKY ATHAS GROUP - VOODOO MOON - 2005
Rocky Athas guitarrista do Texas, que com 23 anos foi homenageado pela revista Texana de guitarra Texas Tornados como um dos dez melhores guitarristas texanos, ao lado de astros como o guitarrista do ZZ Top Billy Gibbons, Eric Johnson, Bugs Henderson, Johnny Winter, John Nitzinger e Jimmy Vaughan. Athas é amigo de infância de Stevie Ray Vaughan e tocou em jams sessions com Eric Johnson é também o criador do estilo "tapping style" que foi incorporado no estilo de tocar de Brian May guitarrista do Queem, e que Eddie Van Halen usou incansávelmente em seus trabalhos, chegando a ser aclamado como criador do estilo. O trabalho de athas foi reconhecido na Inglaterra depois que a banda Thin Lizzy escreveu a canção "Cocky Rocky”, depois que eles foram em um show do Rocky Athas no famoso clube de Dallas o "Mother Blues Club". No final dos anos 70 e início dos 80 montou a banda de blues "Rocky Athas' Lightning" onde fez uma turnê com grandes astro do Rock Arena incluindo Ted Nugent, Pat Travers, The Kinks, Rick Derringer, Ritchie Blackmore's Rainbow, e Peter Frampton.
BAIXEM ESSE GRANDE MUSICO!!!!!
CLAUDIOTULL

quinta-feira, setembro 25, 2008







TEN YEARS AFTER - A SPACE IN TIME - 1971
Obra prima da super banda woodstoquiana. Na minha opinião "A Space In Time" é o melhor deles. Neste álbum a banda busca uma sonoridade diferente dos álbuns anteriores, com sons mais trabalhados, variando o Bluesrock característico da banda com outros ritmos, com sons mais acústicos, e altos efeitos na guitarra de Lee. Um ótimo exemplo disso é a faixa "Here They Come". A grande canção do disco é "I'd Love to Change the World" (foi com essa música que fiz meu 1º video no youtube), com seu riff marcante. "Over The Hill" é mais uma acústica com um belo arranjo de cordas. A empolgante "Baby Won't You Let Me Rock 'N' Roll You" é puro rock and roll. "Once There Was a Time" traz um som mais country. E fechando o álbum o jazz de "Uncle Jam".Uma grande mistura de ritmos que tem como resultado este excelente álbum.
AUMENTA QUE ISSO AÍ É ROCK'N ROLL!!!
CLAUDIOTULL



BLOOMFIELD STILLS & KOOPER - SUPER SESSIONS - 1968
Mike Bloomfield foi um grande guitarrista do fim dos 60 e início dos 70 trabalhou em bandas como Paul Buttterfield Blues Band e Electric Flag além de fazer vários LP'S solos com diversos músicos como Carlos Santana, Al Kooper e Steve Stills. Super Sessions é um deles, uma super jamsession cheia de improvisações feita com muito Blues, Jazz Rock e Psicodelismo numa mistura sensacional, é sonzeira pura "DO COMEÇO AO FIM". Destaco "Season of The Witch" um feitiço de som rsrsrsrs. Infelizmente em 15/02/1981 Mike Bloomfield morre prematuramenta aos 37 anos em decorrência de uma overdose de drogas.
BAIXEM SEM MEDO DE SER FELIZ!!!!!
CLAUDIOTULL






DEEP PURPLE - 1969
Ontem na volta pra casa, depois de um dia bravo, coloquei esta pérola pra escutar, e resolvi compartilhar essa obra prima do Rock com meus (poucos hehehe) companheiros de blog. Este é o terceiro LP desse ícone do Rock mundial, com a primeira formação, Rod Evans (V), Ritchie Blackmore (G), Nick Simper (B) (que saiu em 1970 e montou o War Horses), Ian Paice (D) e Jon Lord (K). Acho este trabalho sensacional e ao mesmo tempo desprezado e mau falado pela crítica e mídia, é um LP pouco conhecido até pelos fãs mais ardorosos do Purple, um trabalho primoroso, e altamente virtuoso com arranjos de música clássica, com o uso de instrumentos pouco convencionais no Rock como oboé e cravo. Destaco as músicas "Blind" um psicodelismo de composição de Jonh Lord, que é claro vem rajado com um teclado estridente como um cravo e onde se nota que Ritchie Blackmore começa a colocar suas manguinhas de fora com solos incrustados de wah-wah, a fabulosa lentona "Lalena" um som perfeito para morder o pescocinho das meninas hehehe, onde Rod Evans mostra um grande vocal e Lord simplesmente detona num solo de teclado que ultrapassa a perfeição, as louquíssimas "Fault Line" & "The Painter" que são a fusão da primeira "Fault Line", uma introdução progressiva psicodélica que tem um poderoso baixo como base, com a segunda "The Painter" que mostra todo o pedigree do que viria a ser o futuro Deep Purple, já demonstrando o duelo arrasador do teclado de Lord e a esbravejante guitarra de Blackmore, a surpreendente "Bird Has Flown" que começa meio que infantil e vai se desenhando como um som virtuoso, onde se inicia aos 2:50 da música um solo maravilhoso do Blackmore e termina em um fabuloso solo do John Lord, aliás esse LP deveria se chamar "JOHN LORD E SEUS TECLADOS RSRSRSRS). E finalmente, a épica, fabulosa, virtuosa, excitante, clássica "April" um nome simples para uma música complexa e completa, onde a união do Rock com a música Clássica se faz com uma sutileza incomparável, acho que todos que apreciam a boa música deveriam ouvi-la, pois é uma experiência única. eu colocaria "Deep Purple 1969" junto com o "In Rock" e o "Stormbringer" como os melhores trabalhos do Purple.
BAIXEM E APRECIE SEM MODERAÇÃO!!!
CLAUDIOTULL

terça-feira, setembro 23, 2008

Comercial da cerveja Irlandesa Guinness. Achei a idéia e a edição genial, tudo feito em película, com humor, efeitos especiais e criatividade, tudo usado na medida certa. Um dos melhores comerciais que já ví.

CLAUDIOTULL

video

segunda-feira, setembro 22, 2008




JETHRO TULL - LIVE LOS ANGELES - 1977
DISC 2
Ao vivo com performances variadas da banda, achei bem legal a escolha do repertório, um documento da melhor fase do Jethro Tull, vale a pena ter no baú.
BAIXEM QUE É BOM!!!
CLAUDIOTULL

PREMIATA FORNERIA MARCONI - L'ISOLA DI NIENTE - 1974

DOWNLOAD

Esse disco é uma aula de como se faz um Rock Progressivo de primeira qualidade. Um trabalho conceitual, letras em inglês e italiano. A canção lísola di niente é perfeita... totalmente bipolar... começa com um coral de câmara... descamba ao lisérgico... desagua em notas de violão tocadas primorosamente.... flerta com o sincopado... e descamba num choro de guitarra "frippertrônica".... A linda música Dolcissima Maria foi regravada por Renato Russo em seu cd "Equilíbrio distante" de 1998.

BAIXEM ESSA PÉROLA!!!!

CLAUDIOTULL

quinta-feira, setembro 18, 2008







MORPHINE - THE NIGHT - 2000
Eis o inusitado. Morphine foi formado em 1990 em Boston, Massachusetts, sob o signo do Alternative rock do Indie rock do Jazz rock e do Experimental rock. A banda composta pelo compositor, baixista e vocalista Mark Sandman, o saxifonista barítono e tenor Dana Colley e o baterista Billy Conway, fazem um belo rock com influências fortíssimas de blues, que por invrível que pareça não usa guitarras, optando por uma instrumentação de baixo slide de duas cordas, sax barítono e bateria. Este é o quinto CD, “The Night”, com composições extremamente elaboradas e envolventes, coloca Sandman que é o compositor de todas elas como um gênio inovador, não era mais do que normal, como ele mesmo dizia: "É tudo sobre simplicidade e tocar com dinâmica. É uma subtração mais do que uma produção." As diferenças entre esse trabalho e o anterior, são absurdas…. se você já teve a oportunidade de ouvir o CD “Like Swimming” (quarto álbum), vai perceber que algo está faltando, a sensação é que as músicas não foram finalizadas. Já em “The Night”, tem uma super estrutura e uma exelente produção de Sandman, dando espaço para diferenciar incluindo novos instrumentos como cello, violino e teclados e com belos back vocais femininos, fazendo um som criativo e envolvente. A 3 de Julho de 1999, a tragédia bate na porta do Morphine, Mark Sandman "o gênio musical" e líder da banda tem um colapso cardíaco em pleno palco, num espectáculo em Roma, e acaba por falecer de infarto com apenas 47 anos. Mas nem assim a banda silenciou e, "The Night", um álbum póstumo, é editado no início do ano seguinte.
É UM SOM SURPREENDENTE...BAIXEM!!!
CLAUDIOTULL

quarta-feira, setembro 17, 2008







HOWLIN' WOLF, MUDDY WATERS & BO DIDDLEY - SUPER SUPER BLUES BAND

1968


Aqui temos três mestres do blues juntos em um trabalho histórico. É simplesmente sensacional a química exalada desses três gigantes, é impressionante, todas as músicas mostram a arte separada de cada um, é como se eles estivessem tocando separado e fizesse uma fusão na gravação do disco. Além disso a obra conta com a presença de Otis Spann no piano, a lenda Hubert Sumlin guitar e Buddy Guy tocando baixo, isso mesmo o mestre da atualidade tocando baixo(não desmerecendo o instrumento pois é um som divino) para os mestres do passado. É um documento imprensindível na discoteca básica de qualquer um que goste do bom e velho Blues.

SÓ POSSO DIZER...BAIXEM!!!

CLAUDIOTULL

IRON BUTERFLY - IN-A-GADDA-DA-VIDA - 1968
Este é um clássico do psycodelismo. O Iron Butterfly se destacou com o LP In-a-Gadda-da-Vida por ter transformado o som que as bandas da era flower power, psycodelicas de San Francisco e da Costa Oeste americana faziam, fizeram naquela época algo mais pesado e elaborado tecnicamente e musicalmente. Só para se ter uma idéia, o Iron Butterfly chegou a ter o seu equipamento para shows ao vivo cobiçado pela galera inglesa de grupos como Yes e The Moody Blues, e, diga-se de passagem, isto deve ter sido um senhor orgulho para aqueles californianos ripongas! O Iron Butterfly conseguiu idealizar e elaborar um som único, inédito para o final dos anos 60, e admirado por gente como Janis Joplin e Jimi Hendrix. O tecladista/vocalista/líder do grupo, Doug Ingle, contou, em recente entrevista divulgada na net, que era comum eles tocarem em casas célebres como o Trombadour ou o Whiskey A-Go-Go, de Los Angeles, e figurinhas tarimbadas como estes citados acima darem as caras por lá, só para conferir a tremenda "viagem" dos rapazes. O Iron Butterfly juntou vários elementos da florida música psicodélica californiana (totalmente diferente da inglesa menos sombria e mais efusiva) com a destreza musical e jazzística de seus integrantes elevada ao cubo. E deu no que deu In-a-Gadda-da-Vida ! Eu adoro "Flowers and Beads", imagine você com o amor da sua vida no intervalo do Woodstock correndo de mãos dadas completamente nús em um campo verde cheio de flores hahahaha, é exatamente essa sensação que tenho quando escuto essa música.
BAIXEM ESSA VIAGEM!!
CLAUDIOTULL

JIMI HENDRIX - VOICE IN THE WIND - 1970
Esta raridade foi lançada na Alemanha em 1970 e relançada nos E.U.A em 1977. São gravações bem raras e pouco conhecidas do Hendrix, no Brasil foi lançado com um selo chamado MAURÍCIO??? Como Jimi Hendrix - The Best vol. II??? O vol. I eu nunca ví hehehehe. Acho que este Maurício deve ser algum Mauricinho hehehe que gostava de hendrix e lançou a parada por conta própria. aí em cima tá a capa Alemã e a capa do Mauricínho hahaha, destaco "Voice" que é um tremendo Blues arrastado, "Suspicius" um dançante Soul no melhor estilo Tony Tornado, "Bessie Mae" um lindo rock'n roll que faz uma homenagem a grande cantora Bessie Smith, e a fenomenal "Free Spirit" uma viagem psicodélica de Hendrix se só poderia ser batizada com este nome, pois um espírito livre é a essência da música e da personalidade de Jimi Hendrix
BAIXEM QUE É BOM!!!
CLAUDIOTULL

terça-feira, setembro 16, 2008


JOHN LEE HOOKER - THE CREAM - 1978

DOWNLOAD

Eis um dos grandes mestres do blues em uma das melhores performance de sua vida, nada mais a declarar...Não precisa né!!

Recorded:
live at Keystone Club, Palo Alto, California, September 1977

Line-Up:
John Lee Hooker-vocals; guitar

Peter Karnes-harmonica (except 07-09)

Charlie Musselwhite-harmonica

John Garcia Jnr.-guitar

Ron Thompson-guitar (except 11, 12)

Mike Milwood-bass

Larry Martin-drums

Ken Swank-drums

BAIXEM O MESTRE DO BOOGIE!!!

CLAUDIOTULL